Mulher virtuosa: O seu valor excede ao de jóias preciosas. (Prov. 31,10)

March 8, 2016

 

Há muitos exemplos de mulheres segundo o coração de Deus na Bíblia. De todas estas, há aquela que é a mulher por excelência, símbolo de feminilidade e exemplo: a Virgem Maria. Com ela aprendemos que ser mulher é uma vocação.

 

Um dom que vem do próprio Criador que derramou no ser feminino a sensibilidade, o dom de cuidar e gerar vida, mas também a firmeza.

 

Triste perceber que muitas se deixaram convencer que a feminilidade significa fragilidade. Elas começaram a desprezar as virtudes, tais como paciência, doação, ternura, e procuraram se tornar iguais aos homens em tudo.

 

O que temos visto nos nossos dias, com efeito, é a clareza de uma desconstrução da identidade feminina. O homem e a mulher, nesse sentido, não são nem superiores nem inferiores, são antes diferentes. Constituem, pois, duas formas distintas pelas quais a humanidade se enriquece.

 

Na história da salvação, Deus se confiou a uma mulher, Maria de Nazaré, e a encarnação do Filho de Deus é algo que surge a partir de um gesto que somente uma mulher pode realizar: gestar a vida que provem do Criador.

 

Muitas coisas poderiam ser ditas sobre a essência da mulher, mas só uma mulher que vive sua feminilidade será capaz de transmitir esta essência: de permitir que os outros percebam o que é o "gênio feminino" e a beleza que há em ser mulher aos moldes de Maria.

 

Maria é exemplo de silêncio e humildade para todos nós. Ela "Guardava e meditava tudo em seu coração" (Lc 2, 51). Ela, sempre com Jesus, acompanhou tudo de perto, em silêncio. Quando Jesus a vê aos pés da cruz, Ele doa sua mãe à humanidade, entrega Maria como Mãe dos viventes.

 

Em Maria segue o maior exemplo de ser mulher e nela queremos prestar nossa homenagem ás mulheres. À aquelas que vivem a manifestação de Deus no “ser mulher”, que se abrem a vida, que lutam pelas necessidades dos outros, que se doam.. Amar Maria é amar toda mulher. É olhando para Maria que a mulher encontrará o segredo para viver dignamente sua feminilidade.

 

Em sua Carta Apostólica ‘Mulieris Dignitatem’, o Beato João Paulo II nos presenteou com belíssimas palavras: “A dignidade da mulher está intimamente ligada com o amor que ela recebe pelo próprio fato da sua feminilidade e também com o amor que ela, por sua vez, doa”.

 

Deixamos, assim, o nosso agradecimento á todas as mulheres, sinais de Deus em nosso meio:

 

“O obrigado ao Senhor pelo seu desígnio sobre a vocação e a missão da mulher no mundo, torna-se também um concreto e direto obrigado às mulheres, a cada mulher, por aquilo que ela representa na vida da humanidade.

 

Obrigado a ti, mulher-mãe, que te fazes ventre do ser humano na alegria e no sofrimento de uma experiência única, que te torna o sorriso de Deus pela criatura que é dada à luz, que te faz guia dos seus primeiros passos, amparo do seu crescimento, ponto de referência por todo o caminho da vida.

 

Obrigado a ti, mulher-esposa, que unes irrevogavelmente o teu destino ao de um homem, numa relação de recíproco dom, ao serviço da comunhão e da vida.

Obrigado a ti, mulher-filha e mulher-irmã, que levas ao núcleo familiar, e depois à inteira vida social, as riquezas da tua sensibilidade, da tua intuição, da tua generosidade e da tua constância.

 

Obrigado a ti, mulher-trabalhadora, empenhada em todos os âmbitos da vida social, económica, cultural, artística, política, pela contribuição indispensável que dás à elaboração de uma cultura capaz de conjugar razão e sentimento, a uma concepção da vida sempre aberta ao sentido do « mistério », à edificação de estruturas económicas e políticas mais ricas de humanidade.

 

Obrigado a ti, mulher-consagrada, que, a exemplo da maior de todas as mulheres, a Mãe de Cristo, Verbo Encarnado, te abres com docilidade e fidelidade ao amor de Deus, ajudando a Igreja e a humanidade inteira a viver para com Deus uma resposta « esponsal », que exprime maravilhosamente a comunhão que Ele quer estabelecer com a sua criatura.

 

Obrigado a ti, mulher, pelo simples facto de seres mulher! Com a percepção que é própria da tua feminilidade, enriqueces a compreensão do mundo e contribuis para a verdade plena das relações humanas.” (Beato João Paulo II)

 

Agradecemos em especial á nossa Mãe Maria, pelo seu sim perfeito. Pois a nossa salvação dependeu do “sim” de uma mulher. E ainda hoje, Deus nos convida a darmos nosso sim pela salvação dos homens. Que possamos assumir nosso papel de mulher com a mesma firmeza.

 

Feliz dia internacional das mulheres,

Deus as abençoe!

 

Paz, benção e amor.

 

                                                                       Joana Ariel

                                                                      (Elo de aliança na Comunidade Aliança de Cristo Rei)

Please reload

Posts Em Destaque

Maria de Nazaré - A Arca da Nova Aliança

September 9, 2017

1/10
Please reload

Posts Recentes

November 2, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags