Santo Agostinho de Hipona

August 29, 2017

 

 

Aurélio Agostinho nasceu a 13 de novembro de 354 em Tagaste, importante cidade da Numídia, atual Argélia. Seu pai Patrício, era um africano romanizado e pagão, ele foi batizado já na hora da sua morte. A mãe Mônica, era uma mulher cristã e piedosa que educou cristãmente o filho, que desde a infância demonstrava aptidão para o estudo da filosofia e anseio pela verdade. Agostinho herdou do pai o temperamento sensual e impetuoso e da mãe a ternura e a tendência à contemplação mística. Patrício tinha projetos para a carreira profissional de Agostinho, sua mãe porém desejava-lhe conceder aquilo que ela mais aspirava em seu coração, Deus a verdade absoluta.  Seu pai desejava fazer de Agostinho um grande retórico, isto é, um professor de letras e eloquência, visto que este posto era o mais honroso e com fins lucrativos para vida. Deste modo o seu pai, o enviou para uma cidade chamada Madaura, a mais importante de Tagaste. Agostinho é atraído pelos estudos dos clássicos latinos, onde ele se dedica com grande entusiasmo, depois ele volta para Tagaste e se vê mergulhado nas incertezas e desordens das paixões transitórias, que por conseguinte condiciona o seu coração a prática de uma vida imersa na devassidão dos seus apetites. Após este período, Agostinho conhece um renomado e rico homem chamado Romaniano da cidade de Cartago, capital da África Romana. Começa então a estudar retórica, dialética, geometria, música e matemática. Desde jovem gostava de desfrutar dos prazeres que esta vida temporária lhe oferecia, Agostinho tinha apreço pelo teatro e não hesitava em se deleitar dos manjares da vida carnal. Neste período, Agostinho conheceu uma mulher com a qual viveu dez anos de sua vida e esta concebeu um filho, este foi batizado com o nome de Adeodato. Nesta época após voltar para Tagaste, sua mãe Mônica escreve-lhe entre os catecúmenos da Igreja Católica. Agostinho por sua vez considerava irracional a doutrina Católica.

 

No ano de 373, movido pelas suas buscas incessantes pela liberdade interior, é reinflamado em seu coração o anseio pela “verdade”, agora não mais influenciado por ninguém, mas pela sua própria sede e curiosidade de descobrir as verdades das coisas. A busca pela verdade o levou a conhecer uma seita conhecida como os maniqueístas, aonde permaneceu por nove anos recebendo os seus ensinamentos. Depois Agostinho retorna novamente para Cartago onde ele abre sua primeira escola de retórica e, com grande êxito começa a publicar o seus primeiros escritos. No ano 383 Agostinho embarca para Roma, sem o conhecimento de sua mãe, chegando a Milão, ainda convivendo com as influências maniqueístas até conhecer o neoplatonismo, que lhe agrada pela sua espiritualidade fundamentada no desprezo das paixões humanas. No ano 386 com 32 anos, por providência divina, ele começou a ouvir a veracidade das palavras de Santo Ambrósio que se baseavam nas Sagradas Escrituras, então ele recebe o batismo e isso lhe foi o suficiente para que seu coração se conscientizasse da escravidão ao qual ele viveu grande parte da sua vida. Após este acontecimento, Agostinho volta para Tagaste e lança os fundamentos de uma comunidade religiosa baseando-se no estilo de vida das novas comunidades citado em At 2, 41-47. A mãe de Agostinho por 32 anos, intercedeu pela sua conversão, mais tarde veio a falecer em Roma, mas teve a graça de ver Agostinho batizado e convertido.

 

Agostinho escreveu inúmeras obras, fundou vários mosteiros, combateu muitas heresias e perseguições que se levantou contra a Igreja na sua época, dentre todos os seus escritos escreveu um livro chamado “A cidade de Deus”, que tinha como propósito defender a Igreja dos ataques bárbaros, edomitas e movimentos hereges que assolavam a Igreja em seu tempo. Por fim, Agostinho percebeu que a verdade não é um estado da alma ou um conjunto de pensamentos filosóficos, assim ele esteve preso e condicionado às leis naturais deste mundo passageiro por muitos anos, depois descobre que a verdade é uma pessoa; Jesus Cristo, que entregou-se a si mesmo na cruz para resgatar os que lhe pertence por direito, percebe então Agostinho que a liberdade interior é consequente do encontro com a Verdade Suprema, que por sua vez liberta e faz romper os limites de uma vida vazia e sem sentido.

Nós, da Comunidade Católica Aliança de Cristo Rei, temos este Santo como exemplo de alguém que anseia a autentididade das coisas e busca pela verdadeira liberdade e verdade que está em nosso Senhor Jesus Cristo, sendo Ele a própria Verdade e Liberdade que buscamos, por isso voltemos o nosso olhar para aquele que é digno de toda honra, glória e louvor. Santo Agostinho deixou a libertinagem pela liberdade, encontrando a pureza de coração. Agostinho faleceu a 28 de agosto de 430 com 75 anos na cidade de Hipona, Numídia.

 

Saint Augusto e pregate per noi.

 

Fonte: Paulus          

Please reload

Posts Em Destaque

Maria de Nazaré - A Arca da Nova Aliança

September 9, 2017

1/10
Please reload

Posts Recentes

November 2, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags